Terraço Almirante

Terraço de apartamento – Lisboa – 2012

Escolheram comprar a casa por “Aquele-magníficio-terraço”. Cinco anos depois, assistem absortos ao abandono em que se transformou o sonhado espaço.
A arquitectura é também a história construída das ilusões e das expectativas dos homens (a história construída e não a arquitectura construída -seria um pleonasmo uma vez que toda a arquitectura é construção e se não está construída, então não é arquitectura).
Assim é a história deste PROJECTO de arquitectura que nunca chegou a ser. Construída.

terraço-almirante-render1

Os clientes escolheram comprar a casa por “Aquele-magníficio-terraço”.
Cinco anos depois, assistem absortos ao abandono em que se transformou o sonhado espaço e, um determinado dia a sua vida (e o seu abandonado terraço) cruzam-se com a POLIGONO.
O projecto consistiu em dar uma ocupação ao espaço, contemplando zonas de estar, de arrumos e a resolução de três problemas específicos do terraço: o vento cruzado, a insolação tangente de fim de dia e o ruído vindo da rua, 6 andares abaixo.
A proposta consistiu numa abordagem mínima que mediante um material aglutinador – a madeira – fosse resolvendo os vários desafios programáticos de arrumação, acomodação, supressão de ligeiro desnível de acesso e suporte à cobertura de lona. O parapeito seria por sua vez elevado em vidro e o restante programa (mesa, almofadas e vegetação) resolvidos mediante mobiliário e plantas já em posse dos proprietários.
Projecto entregue. Construção ainda pendente.
O sonhado espaço, continua adiado.

terraço-almirante-render2

Arquitectura: André Albuquerque, Pedro Snow

Cliente: Luis Urbano, Maria João Valente